terça-feira, 30 de setembro de 2008

PLaystation

Novo jogo para a PSP portable
também em versão especial para Magalhães.

Esplendor

Levantar o esplendor de Portugal

Da Índia trouxemos as especiarias que se venderam na Europa. Na África fomos buscar e negociar escravos. No Brasil foram os diamantes. Nas ex-colónias tínhamos o ouro, os diamantes e o petróleo. Na Europa tivemos os fundos europeus, os subsídios e as comparticipações.

Nunca produzimos o que quer que fosse. Fizemos sempre negócio à custa dos outros e do trabalho deles.

O esplendor de Portugal nunca existiu.


A Lenda

Conta a lenda que havia um homem que preocupado com a sua idade resolveu comprar umas pastilhas para rejuvenescer. Tomou uma e ficou um ano mais novo. Entusiasmado com o resultado tomou outra e ficou um ano mais novo ainda. Então tomou o frasco todo, ficou com 2 anos de idade, apanhou papeira e morreu.

Choveu hoje outra vez

Na semana em que choveu mais de um dia.

  • A crise financeira americana, da Europa e do Mundo
  • As gasolineiras e os preços dos combustíveis
  • A lei do trabalho
  • Os vetos do Senhor dos Tabus - Estatuto dos Açores e Divórcio
  • O Magalhães
  • O casamento gay

Vem a Manela falar na ostentação de um comício?

A diferença é que o Inginheiro vai falando e a Manela vai-se calando. Estranha maneira de se fazer política num país que se diz democrático. É que quem cala consente.

Crise Financeira

"O sistema financeiro francês é um dos mais seguros do Mundo. É preciso ter uma confiança total na segurança do sistema bancário francês", disse o governador do Banco de França, Christian Noyer.

Pois o problema é acreditar nisso.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Nações Unidas

Os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio:

  • Erradicar a pobreza extrema e a fome;
  • Alcançar a universalidade da educação primária;
  • Promover a igualdade de géneros e fortalecer a condição das mulheres;
  • Reduzir a mortalidade infantil;
  • Melhorar a saúde materna;
  • Combater o HIV/SIDA, paludismo e outras doenças;
  • Assegurar a sustentabilidade ambiental;
  • Criar uma parceria global para o desenvolvimento.

Jacaré


Em rio que tem piranha, jacaré nada de costas.

Magalhães

Na Ilha da Lenha a partir de Sábado à tarde a 285 Euros cada?

É caro!!!

Não Faziam um descontinho nisso?


As desventuras de uma bolachinha triste

Quem é Jaciara?

Eu explico. Jaciara é uma gaja qualquer, brasileira, que por ter sido casada com um futebolista ganhou o direito de visibilidade na imprensa cor-de-rosa. Jaciara isto Jaciara aquilo.

Em Portugal este fenómeno não é novo. Temos exemplos recentes de uma Criolina Qualquer, que de puta passou a santa e de santa a escritora em 3 tempos; e de muitas outras gajas que nada fizeram de positivo na vida exceptuando serem/terem sido casadas com alguém conhecido.

E afinal o que é que estas bimbas têm de importante para que a toda a hora ande um fotografo ou um jornalista atrás a saber se a menina vai se fica, se vai ser atriz ou empregada de bar?

Estamos cravejados de Jaciaras que nunca fizeram nada na vida senão terem sido "casadas" com este ou aquele gajo conhecido.

Será que a vida desta gente é assim tão importante? Eu por mim acho que não fazem falta nenhuma.

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Mais um dinheirinho

Querem ver que o Indemnizado agora vai ganhar a vida somente pedindo indemnizações? Parece até que já tem tabela de preços e tudo. Desta vez foi o Diário Correio da Manhã e a TVI a quem pede a módica quantia de 150.000 Euros...

Na origem do processo está uma entrevista à TVI do principal arguido do processo Casa Pia - Bibi - em que são feitas referências ao Indemnizado, a 25 de Abril de 2006, e reproduzidas no dia seguinte no Correio da Manhã.

Penso que com estes dois o Indemnizado não se vai safar com o ouro tão facilmente. A ver vamos.

Taxas


Será que as taxas já não estarão

a subir mais em Portugal do
que no resto da Europa???

Comestia com Língua Portuguesa


Ontem o Senhor dos Tabus teve um almoço de trabalho com os presidentes do Brasil, Lula da Silva, de Cabo Verde, Pedro Pires, de Moçambique, Armando Guebuza, de São Tomé e Príncipe, Fradique de Meneses, e de Timor-Leste, Xanana Gusmão. Angola e a Guiné-Bissau foram representados pelos ministros dos Negócios Estrangeiros, respectivamente João Miranda e Maria da Conceição Cabral. Também estiveram presentes o ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, o enviado especial da ONU para a Tuberculose, Jorge Sampaio, e o alto comissário da ONU para os Refugiados António Guterres.

Futuros cargos internacionais já se começam a desenhar? "Os defensores de" algum dia serão os "defendidos por".

Imagens do restaurante Four Seasons (Nova Iorque), onde foi realizada a comestia.

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Lance Armstrong

Nasceu na América em Setembro de 1971. Ganhou o Tour de France por 7 anos consecutivos. Sobreviveu a um cancro num testículo que lhe atacou o cérebro e os pulmões - em 1996. O seu tratamento constou de quimioterapia e cirurgia e os seus prognósticos de sobrevivência foram sempre muito baixos. Sobreviveu a tudo isso e pretende agora voltar ao ciclismo profissional.

Não se pense no entanto que Lance Armstrong tem um físico normal. O seu VO2max é de 83.8 mL/kg/min (consumo máximo de oxigénio ou capacidade aeróbica), enquanto uma pessoa normal se situa entre 40 e 59. O seu coração é cerca de 30% maior do que a média normal, embora esta situação seja mais frequente entre alguns atletas. O seu coração em descanso situa-se entre 32 a 34 batimentos por minuto (bpm) com um máximo (mhr) de 201. Outra das características de Lance são os níveis de ácido lácteo muito baixo (é este ácido que durante treinos intensos é libertado pelos músculos causando fadiga muscular). Durante um treino intenso os níveis de ácido lácteo de um atleta normal é de 12 μL/kg até 20 μL/kg - o de Lance é inferior a 6 μL/kg. A sua cadência rápida no pedal é usada para tirar vantagens deste facto - normalmente usa uma velocidade mais leve - nos carretos - que os seus adversários e uma pedalada muito mais rápida - 120 Rpm. Como comparação, o ciclista recreativo usa uma cadência entre 60-80 Rpm. Os ciclistas de competição entre 80-120 Rpm e os sprinters podem até atingir valores de 170 Rpm. Lance consegue manter cadências de 120 Rpm durante horas seguidas.

Acredita-se que uma cadência mais rápida juntamente com uma velocidade mais leve causa menos fadiga muscular do que uma cadência lenta com uma velocidade mais pesada - que requer contracções mais fortes dos músculos das pernas. Existem também teorias de que o sistema cardiovascular trabalha melhor com cadências mais rápidas.

Políticas Inquietantes

AAJ dispara na direcção dos que acusam o governo de não trabalhar. Diz ele que existem personagens na oposição, incluindo jornalistas, que só trabalham durante 5 minutos por dia e ainda por cima para bater no próprio AJJ. E depois têm o trabalho feito para esse dia.

Políticas inquietantes?

A música nas notícias? Não!

Já repararam que na TSF existem notícias que são acompanhadas por uma musicasinha irritante de fundo? Já hoje de manhã na RTP a mesma coisa. Enquanto o pivôt apresenta as desgraças do mundo ouve-se um "loop" musical de fundo.

Não sei quem teve esta brilhante ideia de nos dar pequenos trechos de música repetitiva junto das notícias. Se pretendiam suavizar as notícias - esqueçam que não resulta!

Distrai o ouvinte ou o telespectador e é mesmo irritante a repetição constante da musicasinha de fundo!!!

Raios não tinham mais nada que inventassem?

Fernão Magalhães

Fernão Magalhães o descobridor - segundo o Inginheiro que no seu discurso de propaganda fez menção - não descobriu nada. Foi um navegador que levou a cabo a primeira viagem de circum-navegação e ainda por cima ao serviço de Espanha. Foi também o primeiro a atravessar o que é hoje conhecido por Estreito de Magalhães. Foi morto antes de terminar a viagem(?)...

Preciso de dizer mais?


terça-feira, 23 de setembro de 2008

Bin Laden poeta das arábias

Segundo o Jornal Público Bin Laden também escreve poemas e vão até ser publicados nos Estados Unidos. Quem o afirma é Flaag Miller, especialista em literatura árabe - se nunca ouviram falar do Flaag é bem feito, estudassem e concerteza que iam conhecer o homem. Mas pelos vistos o gajo mais procurado do planeta recitava poesias em festas. Quem diria? O Flaag parece que rapinou legalmente umas tapes com umas gravações enquanto eram estudadas depois da queda daquelas torres na América. Nem quero pensar quantas tapes o Bin deixou por aí perdidas antes de se tornar o chefe do terrorismo mundial - umas com poemas, outras com canções, outras com receitas culinárias, outras até com o telefone das namoradas, com as garantias extra dos camelos, outras... olha nem sei. Eu por mim já me vou redimir do assunto uma vez que não tenho mais razão para afirmar que o Bin não existe. E aqui vai:

- Confesso que até agora não acreditava que o Bin Laden existisse nem na Terra nem na Lua. Mas mudei de ideias. Existe sim senhor. E sabem porquê? É simples: se faz poemas - logo existe. Pronto. Acabou-se.

Parece que o Times on Line também concorda com a ideia dos poemas. Já vou lá ver o que dizem os bifes sobre a cena e volto já...

(passados 30 segundos...)

Ainda não encontrei nada sobre o assunto... mas vou tentar outra vez...

(mais 30 segundos)

Eu sei que está em Inglês mas sinceramente procurei e não encontrei. Se calhar até já retiraram a notícia penso eu, e se penso, logo existo.

Olha até fiz uma rima. Toma lá esta e embrulha ohh Flaag do catano! Poesia portuguesa. Bem boa por sinal, pá! Também se faz por aqui. Here pá, here.

Portugueses (mais) ecológicos

O português tem a cultura do automóvel. Não há hipótese de mudar isto pelo menos nos próximos anos. Estafa-se a trabalhar para pagar o carro e este passa a ser mais um membro da família. As mentalidades e comportamentos não são fáceis de mudar. Se houve coisa que obrigasse o português a deixar o carro em casa foi o preço dos combustíveis. Como lhe estava a magoar o bolso deixava o carro em casa e pronto. Passámos a ser mais ecológicos e até apareceram estatísticas sobre isso. Ficámos com a consciência tranquila. Assim funcionam as coisas por aqui. A cidadania custa a entrar e logo o dever social tarda. A cultura do xico esperto está na massa do sangue e enganar o outro é sempre sinal de inteligência.

Pois é exactamente o contrário.


Precisa-se de matéria prima para construir um País

Precisa-se de matéria prima para construir um País
Eduardo Prado Coelho - in Público

A crença geral anterior era de que Santana Lopes não servia, bem como Cavaco, Durão e Guterres.

Agora dizemos que Sócrates não serve. E o que vier depois de Sócrates também não servirá para nada.

Por isso começo a suspeitar que o problema não está no trapalhão que foi Santana Lopes ou na farsa que é o Sócrates.

O problema está em nós. Nós como povo. Nós como matéria prima de um país.

Porque pertenço a um país onde a ESPERTEZA é a moeda sempre valorizada, tanto ou mais do que o euro.

Um país onde ficar rico da noite para o dia é uma virtude mais apreciada do que formar uma família baseada em valores e respeito aos demais.

Pertenço a um país onde, lamentavelmente, os jornais jamais poderão ser vendidos como em outros países, isto é, pondo umas caixas nos passeios onde se paga por um só jornal E SE TIRA UM SÓ JORNAL, DEIXANDO-SE OS DEMAIS ONDE ESTÃO.

Pertenço ao país onde as EMPRESAS PRIVADAS são fornecedoras particulares dos seus empregados pouco honestos, que levam para casa, como se fosse correcto, folhas de papel, lápis, canetas, clips e tudo o que possa ser útil para os trabalhos de escola dos filhos ....e para eles mesmos.

Pertenço a um país onde as pessoas se sentem espertas porque conseguiram
comprar um descodificador falso da TV Cabo, onde se frauda a declaração de IRS para não pagar ou pagar menos impostos.

Pertenço a um país:
  • Onde a falta de pontualidade é um hábito;
  • Onde os directores das empresas não valorizam o capital humano.
  • Onde há pouco interesse pela ecologia, onde as pessoas atiram lixo nas ruas e, depois, reclamam do governo por não limpar os esgotos.
  • Onde pessoas se queixam que a luz e a água são serviços caros.
  • Onde não existe a cultura pela leitura (onde os nossos jovens dizem que é ' muito chato ter que ler' ) e não há consciência nem memória política, histórica nem económica.
  • Onde os nossos políticos trabalham dois dias por semana para aprovar projectos e leis que só servem para caçar os pobres, arreliar a classe média e beneficiar alguns.
Pertenço a um país onde as cartas de condução e as declarações médicas podem ser ' compradas ' , sem se fazer qualquer exame.

  • Um país onde uma pessoa de idade avançada, ou uma mulher com uma criança nos braços, ou um inválido, fica em pé no autocarro, enquanto a pessoa que está sentada finge que dorme para não lhe dar o lugar.
  • Um país no qual a prioridade de passagem é para o carro e não para o peão.
  • Um país onde fazemos muitas coisas erradas, mas estamos sempre a criticar os nossos governantes.
  • Quanto mais analiso os defeitos de Santana Lopes e de Sócrates, melhor me sinto como pessoa, apesar de que ainda ontem corrompi um guarda de trânsito para não ser multado.
  • Quanto mais digo o quanto o Cavaco é culpado, melhor sou eu como português, apesar de que ainda hoje pela manhã explorei um cliente que confiava em mim, o que me ajudou a pagar algumas dívidas.
Não. Não. Não. Já basta.

Como ' matéria prima' de um país, temos muitas coisas boas, mas falta muito para sermos os homens e as mulheres que o nosso país precisa.


Esses defeitos, essa 'CHICO-ESPERTERTICE PORTUGUESA' congénita, essa desonestidade em pequena escala, que depois cresce e evolui até se converter em casos escandalosos na política, essa falta de qualidade humana, mais do que Santana, Guterres, Cavaco ou Sócrates, é que é real e honestamente má, porque todos eles são portugueses como nós, ELEITOS POR NÓS. Nascidos aqui, não noutra parte...

Fico triste.

Porque, ainda que Sócrates se fosse embora hoje, o próximo que o suceder terá que continuar a trabalhar com a mesma matéria prima defeituosa que, como povo, somos nós mesmos.

E não poderá fazer nada...

Não tenho nenhuma garantia de que alguém possa fazer melhor, mas enquanto alguém não sinalizar um caminho destinado a erradicar primeiro os vícios que temos como povo, ninguém servirá.

Nem serviu Santana, nem serviu Guterres, não serviu Cavaco, nem serve Sócrates e nem servirá o que vier.

Qual é a alternativa?

Precisamos de mais um ditador, para que nos faça cumprir a lei com a força e por meio do terror?

Aqui faz falta outra coisa. E enquanto essa 'outra coisa' não comece a surgir de baixo para cima, ou de cima para baixo, ou do centro para os lados, ou como queiram, seguiremos igualmente condenados, igualmente estancados....igualmente abusados!

É muito bom ser português. Mas quando essa portugalidade autóctone começa a ser um empecilho às nossas possibilidades de desenvolvimento como Nação, então tudo muda...

Não esperemos acender uma vela a todos os santos, a ver se nos mandam um messias.

Nós temos que mudar. Um novo governante com os mesmos portugueses nada poderá fazer.

Está muito claro... Somos nós que temos que mudar.

Sim, creio que isto encaixa muito bem em tudo o que anda a acontecer-nos:

Desculpamos a mediocridade de programas de televisão nefastos e, francamente, tolerantes com o fracasso.

É a indústria da desculpa e da estupidez.

Agora, depois desta mensagem, francamente, decidi procurar o responsável, não para o castigar, mas para lhe exigir (sim, exigir) que melhore o seu comportamento e que não se faça de mouco, de desentendido.

Sim, decidi procurar o responsável e ESTOU SEGURO DE QUE O ENCONTRAREI QUANDO ME OLHAR NO ESPELHO.

AÍ ESTÁ. NÃO PRECISO PROCURÁ-LO NOUTRO LADO.

E você, o que pensa?.. MEDITE!

Num mail que recebi...

Senhora Merkel... Querida Ângela

Que Angela Merkel sempre teve bolas maiores do que as do Cherne isso já sabia. Ponho também em dúvida se o Cherne alguma vez teve sequer bolas. É que a senhora criticou no passado dia 20.09.2008 os Estados Unidos e a Inglaterra, por terem impedido o seu governo de criar mecanismos de regulação para os mercados financeiros e consequentemente mais transparência.

Criticou ainda a percepção que os mercados financeiros têm deles mesmos acusando os Estados Unidos e a Inglaterra de apoiarem a desregulação do mercado. Por outras palavras acha que a Europa não deveria pagar pelas ganâncias dos outros.

Por onde anda o Cherne? Não a vai pôr na ordem?

Europa

Os interesses da Europa não são sempre coincidentes com os interesses dos Estados Unidos. Ainda vão dizer que esta situação se dá devido à não aprovação do Tratado de Lisboa que ia preparar a Europa para estas situações.

Múmias perigosas 1

Mais uma múmia desenterrada...

Desta vez é a múmia que percebe mais de Guerra e Guerreiros...

"A europa não tem capacidade para prevenir o que se passou na Georgia e que era previsível. A Europa não tem capacidade militar nem capacidade política para agir no médio oriente e quando se trata de situações complicadas abriga-se sobre o chapéu da América."

Palavras da múmia guerreira.

Ver também o que escrevi aqui.

Múmias perigosas

É engraçado que certas coisas são mesmo cíclicas no nosso país. O recadeiro de serviço hoje é Mário Soares.

O meu post aqui sobre os recadeiros.

Lá foram novamente buscar uma das múmias para lançar a discussão pública sobre a Europa. Algo se prepara novamente. O que será desta vez?


Será que esta táctica ainda resulta?

Será que ainda não se fartaram destas tretas?



Vocação

Se ainda não sabe qual é a sua verdadeira vocação, imagine a cena:

Está olhando pela janela. Nada de especial no céu, somente umas nuvens aqui e acolá... Chega alguém que também não tem nada para fazer e pergunta:

- Será que vai chover hoje???

Se você responder "de certeza"... a sua área é Vendas: as pessoas das Vendas são os únicos que têm sempre a certeza.

Se a resposta for "sei lá, estou pensando noutra coisa"... então a sua área é Marketing: os do Marketing estão sempre pensando no que os outros não estão pensando.

Se você responder "sim, existe uma boa probabilidade"... você é da área de Engenharia: na Engenharia estão sempre dispostos a transformar o universo em números.

Se a resposta for "depende"... você nasceu para Recursos Humanos: uma área em que qualquer facto sempre estará na dependência de outros factos.

Se você responder "...a meteorologia diz que não"... você é da área de Contabilidade: em Contabilidade confia-se sempre mais nos dados no que nos próprios olhos.

Se a resposta for "sei lá, mas por via das dúvidas trouxe um guarda-chuva": seu lugar é na Área Financeira que deve estar sempre bem preparada para qualquer alteração.

Agora, se você responder "não sei"... há boas probabilidades que tenha uma carreira de sucesso e acabe em presidente de uma grande empresa.

Em cada 100 pessoas só uma tem a coragem de responder "não sei" quando não sabe. Os outros 99 sempre acham que precisam ter uma resposta pronta, seja ela qual for, para qualquer situação. Errado.

Não sei, é sempre uma resposta que economiza o tempo de todo mundo, e pré-dispõe os envolvidos a conseguir dados mais concretos antes de tomar uma decisão. Parece simples, mas responder "não sei" é uma das coisas mais difí­ceis de se aprender na vida corporativa e porquê?

Eu sinceramente "não sei".

A Onda de Falácias?

3 Bombas seguidas. Serão coincidências?

Falácias...

Cidadãos

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Dia Europeu sem Carros

Hoje é o Dia Europeu sem Carros e na Ilha da Lenha - nada de novo.

Há 50 anos atrás os portugueses andavam mais de bicicleta. Uns andavam de cavalo, de burro e outros ainda em coches debruados a ouro... hoje uns andam de transporte público, outros de motoreta, outros de BMW ou Mercedez Benz. É a evolução natural das coisas.

Na Ilha da Lenha não existe uma única ciclovia mas isso não preocupa ninguém. Não existe tradição e há muitas subidas daquelas de tirar o fôlego. No entanto acho que a "tradição" se está a criar aos poucos e já se vêm alguns ciclistas pedalando pelo Funchal. Até a PSP está agora a patrulhar de bicicleta.

Este ano, das 67 autarquias aderentes ao Dia Europeu sem Carros, pelo menos 22 prometem mais ciclovias, mais pontos de estacionamento ou outras medidas mais originais. A Câmara de Coruche, por exemplo, vai passar a disponibilizar bicicletas aos seus funcionários, para deslocações em serviço.

Um por cento (1%) dos portugueses está a andar de bicicleta, pode-se ler por aí.

Acho muito bem.

Ainda os combustíveis

Sobre o preço dos combustíveis em Portugal disse:

"A questão é complexa, principalmente porque se insere numa crise financeira internacional muito forte e também de grande complexidade, pelo que não se pode responder de forma apressada"

“pelo que não devo fazer declarações sobre a questão dos combustíveis ou da crise internacional”.»

Serão precisas 3 tentativas para adivinhar de quem são estas palavras?

Claro que sim...

sábado, 20 de setembro de 2008

Santana para Lisboa? Ai Manela!

Pelos vistos a Manela vai entregar a chave das portas de Lisboa a Santana em 2009. A senhora não deixa de nos surpreender com novidades. Ideias e caras novas é o que se quiser.

Já comecei a ter saudades do tempo em que estava calada - falava mais...

Para já a promessa de que se ganhar a Câmara vai concerteza encontrar as dívidas que lá deixou. E o tal audi dos milhares de contos? será que ainda existe?

Já agora e para ser mauzinho: dessa maneira livra-se do Santana que às vezes também é chato, mesmo com as gajas e tudo...

Clean Up The World em Câmara de Lobos

Numa iniciativa da C.M. de Câmara de Lobos decorrerá hoje (20.09.2008), uma operação de limpeza na Baía. Esta iniciativa será precedida de uma conferência sobre o Lobo Marinho e só depois será realmente iniciado o tal "Clean up".

Mais uma vez a utilização de palavras em inglês. Se calhar porque é mais fino e dá um ar mais solene à tal limpeza, ou então a gramática portuguesa é menos rica que a inglesa e não possui nenhumas palavras que se apliquem ao caso.

Depois das recentes polémicas sobre o acordo ortográfico e da defesa da língua portuguesa é interessante ver a quantidade de palavras em línguas estrangeiras usadas na comunicação social e não só.

Acho que é preciso um grande "clean" em muitas cabeças e mentalidades.

Por isso - 'Vamos Limpar o Mundo' ok?

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Poema da Serra


«Estamos em Portugal de certo modo a viver em cima de uma panela de pressão. Infelizmente os responsáveis portugueses não estão cientes, nem sequer os próprios partidos políticos»

«a burguesia portuguesa com a sua tradicional incultura acha que está tudo bem, que os direitos sociais dos trabalhadores podem continuar a ser violados porque o que interessa é ganhar dinheiro e que o mercado continue a funcionar selvaticamente»

«há um fenómeno muito desagradável em Portugal: os partidos políticos fecharam-se como que numa concha, tornando-se em centros de interesses individuais e de grupo, tornando-se mais em lobbies do que representantes do sentir da Nação portuguesa».

AAJ no Sol

Jornal da Madeira - 05.12.1997

Portugal é o país da EU com mais reclusos


Em Portugal há, em média, 140 reclusos por cada 100 mil habitantes 
Portugal é o país da União Europeia com a mais elevada taxa de cidadãos detidos nos estabelecimentos prisionais, revelou ontem o "Público".
Adianta que é também aquele em que é mais prolongada a detenção média dos reclusos e um dos que apresenta, no conjunto da população prisional, das maiores percentagens de presos preventivos.
Estes são os resultados mais significativos de um estudo do Conselho da Europa (CE) recolhidos no último trimestre de 1996, sobre a situação do regime penal em 34 países europeus (UE e Leste).

Jornal da Madeira, 5 de Dezembro de 1997, últ. pág.

Jornal da Madeira - 23.12.1996

Segredo de Justiça, até onde ?

Magistrados e advogados andam de candeias às avessas com a cada vez mais acesa discussão sobre Segredo de Justiça, na praça pública. Mas serenos, os deputados em São Bento disseram sim senhor à necessidade de fazer algumas alterações ao actual código jurídico. O livro sobre Leonor Beleza e a série sobre Pedro Caldeira atiçaram a polémica. Enquanto uns brigam, outros fazem por resolver a questão. Mas, afinal, até onde vai o Segredo ?!

Jornal da Madeira de 23 de Dezembro de 1996, pág.2, A.Q.

Beatles

The long and winding road

The long and winding road

That leads to your door
Will never disappear
Ive seen that road before
It always leads me her
Lead me to you door

The wild and windy night
That the rain washed away
Has left a pool of tears
Crying for the day
Why leave me standing here
Let me know the way

Many times Ive been alone
And many times Ive cried
Any way youll never know
The many ways Ive tried

But still they lead me back
To the long winding road
You left me standing here
A long long time ago
Dont leave me waiting here
Lead me to your door

But still they lead me back
To the long winding road
You left me standing here
A long long time ago
Dont leave me waiting here
Lead me to your door
Yeah, yeah, yeah, yeah

EUA - Activos Invendiveis

EUA trabalham num plano para libertar os bancos dos seus activos invendiveis.

O Tesouro e o Banco Central norte-americano iniciaram discussões com o Congresso sobre um plano destinado a ajudar os bancos a desembaraçar-se dos seus activos invendíveis, que originaram a crise financeira actual, indicou uma porta-voz do Tesouro.

Estes gajos não aprendem mesmo.

Se fosse em Portugal o problema já estava resolvido através de mais um pequeno e quase invisível imposto. Aí o Zé pagava o que os outros andaram a comer durante anos e resolvia-se a coisa.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Reciclar. Vale a pena? - II

Nestes tempos modernos vejo a reciclagem como um grande negócio. "Salvem o planeta", "isso não é biodegradável" e "com estes níveis de lixo todos os aterros do planeta estarão cheios daqui a 10 anos" - quem será que ainda não ouviu destas frases? Por outro lado também se ouve por aí que mais de metade das coisas que separamos no lixo acabam sempre por ir bater aos mesmos aterros.

A indústria da reciclagem não é vista pelas pessoas de um ponto de vista contabilístico - tal como as outras. Se é para bem do ambiente, então não podemos fazer contas - é a ideia que fica. Mas quem paga? E mais importante: quem estará a ganhar com isso? O ambiente? As pessoas? Os donos das fábricas? Será que essas fábricas não custam dinheiro para funcionar?

  • redução
  • reutilização
  • recuperação
  • reciclagem

A reciclagem aparece em último lugar e não é por acaso. Penso também que a resposta são os três primeiros erres. A redução, a reutilização e a recuperação - aqui menos processos industriais se envolvem. Mas posso estar enganado. Afinal é só a opinião de um leigo.

Reciclar. Vale a pena? - I

Vale a pena o esforço? Como é que funciona? Vejamos alguns números.

Desde 1960 que a maioria do lixo recolhido na América quase triplicou alcançando as 245 mil toneladas em 2005. De acordo com as estatísticas da União Europeia o lixo municipal (urbano) na Europa aumentou em 23% entre os anos de 1995 e 2003. O plano que previa uma redução de 300 Kg por pessoa até ao ano 2000 não resultou. Como aumentou o volume dos lixos urbanos aumentaram também os esforços de reciclagem. Em 1980 a América reciclava somente 9,6% do seu lixo. Actualmente esta reciclagem é de 32%. O mesmo pode ser constatado na Europa onde países como a Áustria e Holanda reciclam 60% ou mais dos seus lixos municipais. A Inglaterra tem uma percentagem de 27%, o que é baixa, mas está a aumentar rapidamente quase tendo duplicado nos últimos 3 anos.

Mesmo assim quando é introduzido um programa de reciclagem em qualquer cidade o facto de se ver todos aqueles camiões de recolha (os de vidro, os de plástico, os de papel, etc), a andar por toda a cidade levanta logo dúvidas se o processo não gastará mais energia do que a que poupa.

Será que a reciclagem compensa de um ponto de vista ecológico? Pelo menos aqui são mais 4 ou cinco camiões a andar (a poluir e gastar energia/combustível), na cidade em vez de um só que antigamente levava o lixo todo junto.

Menino do Rio

Menino do Rio
Calor que provoca arrepio
Dragão tatuado no braço
Calção, corpo aberto no espaço
Coração de eterno flerte
Adoro ver-te

Menino vadio
Tensão flutuante no rio
Eu canto p'ra Deus proteger-te
O Havai seja aqui
Tudo o que sonhares
Todos os lugares
As ondas dos mares
Pois quando eu te vejo eu desejo o teu desejo

Menino do Rio
Calor que provoca arrepio
Toma esta canção como um beijo

Caetano Veloso

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Que ler?

I love everything about lighthouses
their daymark, their coastal locations
the style of tower, the keepers dwelling
the way they endure the powers of nature.

Most of all, I love their light, bright,
seen from far sight
a sense of “safety” no matter how dark the night.

You, my sons, are strong like the lighthouse tower
You endure all of life’s problems.
Your love is like the beacon
“always” shinning through.


I love you,
Mom
11-26-95
© Snow W. Frost

Combustíveis


Quando aumenta o barril: para cima


Quando diminui o barril: nada


A Névoa

Com o início do julgamento Bragaparques adivinha-se mais um espectáculo deprimente. O final não deverá ser diferente do habitual uma vez que os artistas envolvidos se apresentaram já de fato e gravata. Mau augúrio. Não vai haver culpados e vai ser mais uma conta para o Zé pagar. E está certo - os gajos dão o espectáculo e nós pagamos - só que deveriam ter de passar recibo verde. Assim ajudavam com um dinheirinho a Caixa de Previdência no pagamento das reformas.

O Nevoeiro, sócio-gerente da coisa, encontra-se envolvido naquela névoa das engrenagens dos terrenos do Parque Mayer e Feira Popular. Insinuou-se a um advogado com umas notas de euro para resolver uns problemazitos. Aqui nada de novo. Mas pelos vistos a quantia oferecida não foi suficiente. O advogado que é sério desde pequeninho desconfiou então logo da marosca e com a desculpa que tinha de ir ao WC foi à loja do chinês e comprou um gravador de 1 euro e 35 cêntimos. Gravou tudo. Tim tim por tintin.

O dilema do advogado sério: entregar o criminoso à polícia ou manter a conversa em segredo?!

O dilema do Zé: será esta gravação válida em tribunal?

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Prendam-me já!

Estou inocente mas por favor prendam-me por 2 dias. Quero um destes, como o da foto, e não tenho dinheiro. Se não for assim provavelmente nunca terei. O que são 2 dias? Prendam-me por 2 dias. Eu até faço as contas por vocês:

Cada dia tem 24 horas dá um total de 48 horas. 48 vezes 6666 euros dá 319.968 Euros. Eu até fico os 2 dias sem comer para não dar mais despesas. Pode ser mesmo agora! Prendam-me já!

Eu até pago o avião até ao Porto - mas prendam-me!

No Público

Parece que estão previstas muitas prisões.
Será que vão prender os políticos mentirosos?

Já está a chegar!

Tal como previsto pelo Manel Allpinho - Mais uma vez acertou bem no alvo! Fantástico! Agora não sais mais do país. Não há dinheiro que pague esta transferência. Ficas e pronto!

As prestações do crédito habitação aumentam no próximo mês devido à falência do Lehman Brothers.

A Euribor a seis meses disparou para o máximo desde os últimos oito anos. Esta variação implica uma subida das prestações no crédito habitação Como reflexo da instabilidade nos mercados financeiros, a taxa mais utilizada para o crédito habitação disparou para os 5,187%, o valor mais alto desde 2000, escreve hoje o Correio da Manhã. Para um empréstimo de 150 mil euros a 25 anos, por exemplo, esta actualização implica um aumento de mais de 20 euros na mensalidade já do próximo mês.

Alguém lhes comeu a carne - outros roeram os ossos - e nós ?

Ainda bem que temos Fátima para nos salvar. Todos para Fátima, já!

Dura Lex e Spandex

O Tribunal da Relação do Porto condenou o Estado português a pagar uma indemnização de 20 mil euros a Pinto da Costa pela sua detenção ilegal durante três horas no Tribunal de Gondomar, em Dezembro de 2004, no âmbito do processo Apito Dourado. São 6666 por hora. Se aplicarmos a mesma regra ao indemnizado e pelos seus 140 dias de cativeiro - vemos que houve um "erro grosseiro" - receberia 22 milhões e 300 mil euros pela tabela de indemnizações do Tribunal do Porto. Se só vai receber 130 mil portanto ainda ganhámos algum dinheirinho. Ainda bem que o Indemnizado não foi preso no Porto.

Dura lex sede lex - em português: A lei usa spandex.

O Rei Imundo e a Incologia

A Ilha da Lenha foi feita pelos Deuses e descoberta pelos portugueses. Na Ilha da Lenha tudo é diferente.

Os mesmos Deuses sabendo do eterno conflito entre o homem, a natureza e o desenvolvimento decidiram mandar-nos o Rei Imundo. E pimba. Lá vem o gajo por aí abaixo, passa a lua, as nuvens, e aterra na Ilha da Lenha. Pum.

Como missão divina competia-lhe limpar o sebo aos gajos que poluem e estragam a floresta. Mas no seu rol de missões de limpeza não estão incluídas as lixeiras, pedreiras, um ou outro incêndio com fins científicos e principalmente algumas casas que estão dentro do Parque Incológico e que pertencem a outros Deuses. Fazem parte deste rol intocável também alguns caminhos na serra cheios de entulhos da construção civil, de frigoríficos e fogões velhos que foram lá parar sabe lá Deus como. Mas aqui a frase daquele responsável que uma vez disse " 'pra já a montanha é a montanha!" é aplicada e pronto.


Mas se há uma desgraça qualquer envolvendo as forças da natureza e a incúria dos homens destruidores eis que o Rei Imundo aparece brandindo o seu dedinho verde: Eu disse! Eu avisei! Eu não disse? Eu disse... Vocês não me quiseram ouvir. Mas eu disse...

A sua agenda vira-se agora para os pequenos e graúdos das bicicletas. Os pequenos andam na floresta indígena aos saltos, não está certo, e os graúdos nunca plantaram uma árvore na vida - o que também não está certo. Andam pela "sua" serra derramando suor pelas ervas daninhas causando stress nas pequenas aves, abelhas e joaninhas - muitas delas que tinham encontrado a paz ao fugir das pedreiras. Estes criminosos ambientais têm de ser detidos a toda a força - suspeita-se que levam frigoríficos enferrujados e depois os abandonam na serra.

Como foi possível que a Ilha da Lenha tenha sobrevivido tantos anos sem o Rei Imundo? Isso é uma questão que ninguém sabe responder. Mas posso afirmar que a natureza se vai desabar no dia em que o Rei Imundo se for...

Rei Imundo nunca nos deixes. Nunca! Olha que levas nas trombas se nos deixas, pá!

E para último não posso deixar de referir aqueles tanques de rega que servem também para mergulhar e nadar.
Estes também não estão no rol. Pena não terem prancha senão eram piscinas olímpicas. Mesmo assim é a maravilhosa diálise entre a natação e a agricultura.

In Piss I come

Depois das últimas convulsões económicas mundiais devido à falência do banco Lehman Brothers é sempre agradável saber que tudo isso se passa fora do nosso país e que sobretudo que não afecta a nossa economia - São palavras do Manel Allpine - que em entrevista lá nas europas diz que tudo está bem e até se recomenda. Temos uma economia que não é deste mundo. Daqui se conclui que o Manel Allpine também não é deste mundo. Já haviam razões - o tal "...existem indícios..." dos telejornais - para esta suspeita uma vez que Manel foi apanhado numa autoestrada a mais de 200 km - se calhar vinha em trabalho e na sua nave espacial - do Allgarve.

Como o Japão não tem a sorte de ter um economista deste calibre injectou quase 16.700 milhões de euros no mercado para enfrentar a crise. Outros países lhe seguem os passos.

Para nós não interessa e passa ao lado. E se passa ao lado não existe. E pronto.


segunda-feira, 15 de setembro de 2008

O pecado

O Papa Bento XVI criticou no passado domingo em França, os “divorciados que voltam a casar”.

O mesmo Joseph Ratzinger, que na sexta-feira se reuniu no Palácio do Eliseu, em Paris, com o presidente francês, Nicolas Sarkozy, divorciado duas vezes e casado atualmente com a cantora e modelo Carla Bruni, mãe de um filho de um relacionamento anterior, defendeu a família como o “pedestal sobre o qual descansa toda a sociedade”. Aqui podemos concluir que Sarkozy o recebeu na pessoa de chefe de estado da nação francesa embora a sua família não esteja em cima do tal "pedestal". Mas não deixa de ser caricato.

No entanto existiram ao longo da história diversas excepções relacionadas com divórcios e casamentos. Entre estas conta-se uma bem actual. Em Maio de de 2004 o príncipe Felipe, herdeiro da coroa da Espanha, casou com Letizia Ortiz, divorciada de um casamento anterior. A Igreja católica espanhola aceitou a união religiosa sob o argumento de que o primeiro casamento da princesa havia sido apenas de carácter civil.

Em que ficamos afinal? O divórcio é só para os príncipes e princesas ou é igual para todos nós pecadores?

COP - Comité Olímpico Português

Segundo o DN:

Vicente Moura recebe de vencimento do COP cerca de 2500 euros, mais ajudas de custos e despesas pagas.


Um atleta que conquiste um medalha, como os casos de Nelson Évora (ouro no triplo salto), e Vanessa Fernandes (prata no triatlo), integram agora o estatuto de medalhado recebendo assim até Londres 2012, um subsídio de 1500 euros.

Para além de Vicente Moura, o secretário geral do COP recebe 2000 euros e o tesoureiro 1500.

Custa assim tanto representar Portugal?
Acho que não.

Alma

Ponho a mão no fogo. Venho me penitenciar publicamente pelas cobras e lagartos que tenho escrito sobre o Senhor dos Tabús. O homem afinal tem alma - pode ser pequinininha, mas tem. E afirmo isto arriscando o meu pescoço, porque ouvi o indivíduo em questão, num barco, enquanto cavalgava calmamente as águas do rio Douro, afirmar que "é preciso preservar também a espécie humana" face a uns fundamentalismos ecológicos que por lá existem na protecção das aves de rapina. É que a "espécie humana" que por lá existe pelos vistos tem ficado para trás em relação aos grifos.

Também na Ilha da Lenha temos um pequeno ditador que não obstante ser ecologista é também fundamentalista e "verdadologista" entre outros "istas" menos simpáticos.

Um dia destes vou escrever algo sobre esta personagem esverdeada que dá pelo nome de Rei Imundo. Um dia destes...

A vida do outro

Para alimentar ainda mais o voyerismo doentio da populaça portuguesa, a SIC consola-nos o olho com mais uma pérola cultural. Completando ainda mais a estupidificação compulsiva das massas, "Momento da Verdade" é apresentado por Teresa Guilherme e promete sacrificar mais algumas personagens na praça pública para alegria de alguns milhares.

Confesso que este tipo de programa não me atrai pois não me interessa minimamente a "vida do outro". Andar com a vida dos outros às costas não é lá muito saudável - penso eu. No entanto existe quem discorde disto e aprecie estas imolações em praça pública onde se exploram os segredinhos e os esqueletos no sótão. Esta doença alimenta uma sociedade ainda mais doente e sedenta de ver o que faz sicrano e beltrano na sua casa enquanto se trinca um tremoço e se bebe uma cerveja em frente da janela chamada TV.

"Momento da Verdade" é um programa do tipo tele-lixo onde um concorrente, ligado a um detector de mentiras (?), pode ganhar até o máximo de 250 mil euros se responder sempre com a verdade às questões que a apresentadora lhe coloca. Perguntas embaraçosas e passíveis de causar polémica são as mais usadas - claro.

Do tipo:


- Traíu a sua mulher nos últimos 6 meses?
- Já pagou para ter sexo este ano?

Este conceito de traição e sexo resulta sempre, enquanto no quentinho da nossa sala, através desta janela indiscreta, vemos a vida dos outros passar a cores, anonimamente. A ilusão do moralmente seguro ao ver a imoralidade dos outros.

Pergunto eu:

Que contributo positivo tem para a nossa vida saber que um gajo que nunca vimos na vida afirmar que traíu a mulher e teve sexo com uma marciana qualquer?

A onda das esquizofrenias televisivas.

O anúncio

No Diário da Cidade podemos ler o seguinte anúncio que no mínimo é insólito:

Eu Maria Rodrigues venho por
este meio pedir desculpas ao
Luís Gonçalves França e ao
Rafael Gonçalves França, por
tudo o que lhes causei.Tudo
aquilo que fiz foi sem pen-
sar, porque achei que me pu-
dessem pagar o que ainda me
devem!!! Mas ainda estou a
espera do dinheiro, se não me
devolverem o que emprestei eu
irei a tribunal. Já agora lamen-
to imenso o que aconteceu.

Uma inovação no mundo dos credores e devedores do país onde ninguém paga a ninguém. Faz-me lembrar aquele anúncio que li uma vez no Correio da Manhã em que um português pedia desculpas aos outros portugueses pelo facto de ter votado no Inginheiro.

Divertido.

O nariz grande

Paulo Portas ainda está aí. Quando se pensa que já não existe mais maneira de nos surpreender eis que a personagem reaparece a provar que não. Penso até que acredita nas mentiras que diz e o seu nariz vai desde o Porto até al Allgarve. Para um PP que tem estado sempre em queda e que cada vez tem menos votos é interessante ver o quanto é "importante" face a outros mais ou menos iguais.

Declarações bombásticas que por certo nos tornaram todos mais felizes por um bocadinho - numa reunião deste "grande partido" no Porto:

1 - A deliberação foi aprovada com 100 votos favor e quatro abstenções, facto saudado por Portas, depois de ter explicado aos conselheiros as razões que o levaram a manter-se em silêncio durante um ano sobre a demissão do vice-presidente centrista Luís Nobre Guedes.

2 - O dirigente salientou que o CDS, perante «uma questão delicada interna», provou que era «capaz de a discutir democraticamente» em menos de uma semana. Paulo Portas concluiu, por isso, que «os conselheiros falaram e depois votaram de uma forma muito clara».

3 - A sua opinião é que «há muito para falar, meditar e sobretudo para propor do ponto de vista das alternativas a este governo». O CDS decidiu este ano fazer uma «abertura de temporada na rua, junto do povo, com risco porque é uma praça grande».

E bico!...

Ondas na banca

Com a falência do banco americano Lehman adivinha-se ondulação forte para a banca em todo o mundo.

Para nós vai ser a mesma treta de sempre com a diferença que o Inginheiro e a sua equipa de ouro poderá justificar mais uns apertos na carteira do . Se a crise imobiliária nos USA foi o tom para o triste fado do crescimento a falência deste banco também de certeza que vai levar com algumas culpas.


Tem sido sempre assim: enquanto os gajos enchem os bolsos aos milhões o Zé por aqui fica. Quando os gajos abrem falência lá leva o Zé na cabeça com as tretas da globalização, do subprime, do mercado imbiliário e sabe-se lá mais o quê.

"This looks like the end" disse um dos executivos do Lehman - pois é para alguns vai ser de certeza.

domingo, 14 de setembro de 2008

El amigo

Hugo Chávez o amigo do Inginheiro:

«Vayanse al carajo yankees de mierda, que aquí hay un pueblo digno»

Ora muito bem. Alguém que diz o que pensa e pensa o que diz?

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Diferenças

O Espanhol diz - Aquí hubo mano negra.

O Inglês diz - There was a black hand here.

O Português diz - Roubaram-me a carteira.

O Dia Oficial do Diploma


Sinceramente espero que estes não sejam como o do Inginheiro.
Deixem de usar os pequenos para as vossas engrenagens!

Da Weasel

Vou levar-te para casa,
Tomar conta de ti,
Dar-te um bom banho,
Vestir-te um pijama e fazer-te uma papinha,
Meter-te na caminha,
Ler-te uma historinha e deixar-te bem calminha,
Ouve bem,
preciso de alguém do meu lado que me dá um bom dia com um sorriso bem rasgado,
Amor pela manha, pela tarde e pelo fim do dia,
Mais um pouco quando o sonho era o que eu queria,
Não é preciso muito,
é muito simples na verdade, só quero amor bom, carinho, solidariedade,
Faz-me rir e eu prometo que não te faço chorar,
Trata bem de mim e eu bem de ti vou tratar...

Olá nina quero tratar de ti, dar-te o mundo e o outro, tenho tudo aqui,
Chega só um pouco perto de mim, acredita que nunca me senti assim...
yeah yeahhh na na nana yeah yeahhh yeah na na nana...

Trata-me bem, eu juro que suo sangue por ti,
Faz a coisa certa como o Spike Lee,
Podes usar e abusar do meu brinquedo favorito,
Mas tem cuidado por favor não o deixes partido,
Dou-te tudo que poder, tudo que tiver,
O que não tiver tiro aos deuses para a minha mulher,
Roubamos um foguete, vamos dar uma volta até a lua,
Escrevo um livro no caminho com a alma toda nua,
Procriamos como coelhos quando nos derem pelos joelhos,
Procriamos mais um pouco porque eu adoro fedelhos,
Escrevo o teu nome no meu corpo pra toda gente ver,
Bem piroso e lamechas como o amor deve ser, verdadeiro...

Refrão

Gostas de filmes?
podí­amos fazer um bem privado,
Eu escrevo, realizo e actuo do teu lado,
Podes ser a minha estrela, vou-te dar um bom papel,
Pouca palavra muita acção acredita que é mel,
Nasceste para isto, ta tudo previsto,
Por isso insisto e não resisto a dar-te mais um pouco disto,
O amor puro fresco como a brisa do mar,
Tenho montes dele guardado e está quase a estragar,
Envelheço ao teu lado, eu bem gordo tu bem magra,
Acabamos com o stock nacional de viagra,
Faz-me rir e eu prometo que não te faço chorar,
Trata bem de mim e eu bem de ti vou tratar...

Refrão

Mais pelo meu filho do que por mim...
mas também gosto... de algumas.

A mancha azul

Ana Gomes sublinhou que deseja que ambos (Paulo Pedroso e Ferro Rodrigues) voltem à vida política.

“O PS e Portugal precisam de uma pessoa com a qualidade, a integridade e a seriedade do dr. Paulo Pedroso”.

Ainda não percebi bem qual a cor da tua mancha.

No entanto amarela não é e vermelha muito menos. Por enquanto ficarás azul.

Aposto que um dia o tempo o me dará ou não a razão...

A mancha vermelha

Maria José Morgado no SOL:

«numa democracia, é uma discussão nobre a questão das responsabilidades disciplinares dos magistrados e o modelo adequado à responsabilidade civil e criminal».

«Temos de decidir se queremos uma magistratura íntegra e independente e temos de ter um quadro disciplinar íntegro. Não podemos ter magistrados submissos ao poder político e económico por cobardia, medo e receio de pagar uma indemnização, mas também não podemos ter magistrados ou juízes que acham que podem praticar toda a espécie de erros sem responsablidade. Tem de haver aqui um equilíbrio»

A mancha amarela

Apesar de muitos fazerem os possíveis para acabar, graças a muitos ainda não acabou!

"...Sendo um direito constitucional qualquer cidadão requerer uma indemnização ao Estado por ter sido detido sem que a acusação tivesse sido provada, o ser concedida não quer dizer que a pessoa seja inocentada. Foi apenas isso que o cidadão Paulo Pedroso conseguiu – nenhum tribunal o ilibou das acusações porque nenhum tribunal o julgou!

Com que fundamento o dr. João Pedroso, irmão do acima referenciado, disse que os jovens tinham sido preparados para os depoimentos pela equipa de apoio psicológico? E quando a drª Ana Gomes, pessoa que muito respeito pelo que fez por Timor, diz que Paulo Pedroso 'foi sucessivamente ilibado', será que leu as mesmas sentenças que conheço? É que a juíza Ana Teixeira e Silva, ao determinar a sua não pronúncia, não o fez por ter concluído a sua inocência, mas por considerar que uma sua fotografia, utilizada na investigação, não seria nítida e 'em dúvida pró réu'. Na minha terra a tudo isto chama-se 'mandar poeira prós olhos'! É misturar verdades com equívocos.

Quando será que ouvimos os ditos miúdos, enteados da vida e da Pátria e comprovadamente abusados, serem defendidos com igual veemência e determinação pelos mesmos nossos concidadãos?"

Álvaro de Carvalho, Presidente da Rede de Cuidadores
no Correio da Manhã, rubrica Opinião,
edição de 7 de Setembro 2008